quinta-feira, 25 de maio de 2006

Yoga só há um …


… o seu e mais nenhum!

Este parece-me ser o verdadeiro ensinamento do Yoga, ou pelo menos aquele sobre o qual tenho vindo a reflectir nos últimos tempos.

Longe de uma ligação a escolas, tipos, mestres, linhas, etc. o Yoga é uno, é uma coisa só, apesar da sua tradução literal ter inúmeros significados, mas na realidade poderemos falar que os primórdios da palavra Sânscrita Yoga, significava Utilização.

Assim, será a utilização de algo, para qualquer coisa … este é o início … é por aqui que estou a tentar começa a pensar e reformular o que aprendi até hoje sobre Yoga.

A “divisão” do Yoga como se assiste hoje em dia, é coisa que apareceu apenas por volta do séc. XIX, com indivíduos a dar o seu contributo e cunho pessoal a uma prática com cerca de 5000 anos de existência e desenvolvimento, dando, por qualquer razão, os seus nomes a esses “métodos”. Sem dúvida que contributos importantes foram incrementados por Homens mais ou menos contemporâneos, mas então e os que estão nos restantes milénios de história, evolução, experiência, … não os devemos considerar?

Se pensarmos (coisa que cada vez menos gente faz, seguindo apenas a manada, sem questionar) Yoga é algo de dentro para fora e nunca o contrário. Logo, é uma vivência única … incomparavelmente pessoal!

2 comentários:

pitangajazz disse...

Olá viva Tiago, espero que esteja tudo bem com vocês. Eu pratico yoga numa escola do Barreiro, a linha Sivananda (http://www.sivananda.org/). Vocês têm alguma escola aqui em Lisboa?
Digam coisas! Beijinhos
Cláudia Mousinho

Cesar Araujo disse...

Gostaria de saber se vc é Claudia Mousinho que passou por aqui em Maceió e estudou na FAMA?