quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Poderoso Silêncio


Aceitação, satisfação e entusiasmo.
Estado de plenitude. Fantástico. É isso que todos dizemos querer. E fazer? Quantos fazemos? A questão é mesmo esta, ou seja, não fazer. Deixar apenas ser. Mas a luta pelo poder continua. A luta pelo poder e pelo fazer, parece não ter fim. Quantas vezes me confronto com estas questões e mergulho nelas profundamente sem conseguir sair? O ar falta-me. A obsessão sufoca-me. Mesmo assim continuo. Continuo a procurar a cadeira do poder. Todos queremos sentarmo-nos nela… Porquê? Para que serve esta corrida desenfreada ao poder. Vale tudo. Até matar emoções… E mais uma vez, onde fica o sentir? Onde fica o eu? A verdadeira essência que tanto queremos conhecer…
É como se o pensamento quisesse conhecer a essência. Mas enquanto a procura, não a encontra. Já a essência conhece perfeitamente o pensamento. Porquê? Porque se mantém em silêncio e observa. Enquanto o pensamento tagarela, assim continua. Enquanto fala, grita e esperneia, fica sem tempo e sem capacidade para procurar e conhecer a essência.
O Pensamento vive muito ocupado com o fazer, com o mostrar, com o mandar, com o manifestar, com o tempo. A essência, simplesmente observa, e sente o momento.
Aquele que “pensa” usufruir da vida, está tanto tempo preocupado a pensar nisso, que ela passa e ele nem vê. Está demasiado ocupado consigo próprio e em como alcançar a dita cadeira do poder. Enquanto isso, a essência, como está livre, sem obsessões e completamente disponível para aprender, conhecer, sentir e viver, não sofre. Usufrui e tira prazer do que realmente importa: ela própria, no agora e onde está o verdadeiro poder.


Aguardo o silêncio poderoso…


por Vera Bilé

1 comentário:

Sem Naufragar disse...

Tanto que há aqui para falar.
A essência como ela é?
Como é, não sei, mas que é Única, disso não tenho dúvidas. E julgo que é o que faz de nós sermos o que somos. Há quem nunca se venha a interessar por saber como é a sua essência. E carece de pouca ciência. Talvez algum interesse por nós mesmos e não ter receio do silêncio, de nos sentarmos connosco.
O poder de cada um está no conhecimento de nós mesmos, através do qual descobrimos os outros.
Tenho investido tempo a observar e... tanto que descobrimos sobre nós.
Gostei muito deste texto. Deve dar para notar.
E a ideia da aula lá em cima tb me parece um bom convite!
Bem-hajam,
SemNaufragar